DEUS, ABRAÃO E O IMPACTO DA FÉ - Pr. Lisânias Moura


Gênesis 12:1-7;15:1-19,22:1-19


Série DESCOBERTAS – Fase II
OS PATRIARCAS – CHAMADOS PARA IMPACTAR O MUNDO
 
INTRODUÇÃO
 
Estamos iniciando nossa segunda série de mensagens DESCOBERTAS. Na primeira série o foco foi em Deus como o iniciador de tudo. Deus criou tudo do nada, ou seja, Deus, somente Deus tem o poder de criar o partir do nada. O que o homem cria, pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, ele cria a partir do que Deus criou. Deus criou o universo para manifestar a sua glória e querendo repartir sua presença amorosa com outros seres, Deus criou o homem.
 
Antes de criar o homem, por causa do amor para com aquele que ele criaria, Deus criou o universo, a terra, como um lugar especial para receber este homem. O homem tinha uma relação pessoal e amorosa com Deus. Mas o homem, influenciado por Satanás, quis ser igual a Deus e desobedeceu a Deus. Veio a queda. A terra e o mundo inteiro foram afetados. Daí vieram todas os desvios e problemas que temos hoje em todas as áreas. Deus, no entanto, desde o dia que o homem caiu providenciou a redenção do homem e anunciou que haveria um escape através daquele que esmagaria a cabeça da serpente.
 
O homem multiplicou-se, começou a encher a terra, como era o plano original de Deus. Mas a civilização afastou-se de Deus, tornou-se rebelde. Deus pensou em destruir o homem. Mas, deu outra chance ao homem. Surge Noé que pela fé obedece a Deus e constrói uma arca para nela incluir sua família que seria salva da destruição que viria através de um dilúvio. Deus, em sua graça e soberania, a partir de Noé inicia uma nova humanidade. Mas, também os filhos de Noé se desviaram, construíram a Torre de Babel numa tentativa de chegar a Deus.
 
Mas, Deus não se alcança, é sempre Deus que vem em busca do homem. Não tem como o homem achar Deus, é sempre Deus que acha o homem. Até este ponto da história Deus tratou a humanidade como um todo. Mas, a humanidade não respondeu a Deus. Por outro lado, por causa do seu amor e graça, Deus queria relacionar-se com a humanidade e mostrar-se ou revelar-se a esta humanidade que ele criara. É neste ponto que Deus resolve formar um povo. 
 
Na primeira parte desta série, a fase I, nós vimos Deus como O iniciador de tudo, o criador de tudo, o Deus que prove perdão e redenção como expressão de sua graça, o Deus que é disciplinador e gracioso ao mesmo tempo e o Deus que sempre está pronto para dar um novo começo. Deus agora, a partir do capitulo 12 de Genesis, resolve abençoar o mundo através de uma nação que ele vai formar. E para formar esta nação ele chama pessoas. DEUS CHAMA PESSOAS PARA IMPACTAR O MUNDO.
 
Nesta segunda fase da série Descobertas este será o foco. Vamos fazer descobertas sobre como Deus usa pessoas para realizar seu plano no mundo. Veremos que são pessoas como você e eu, normais, com suas fraquezas, mas pessoas cujas fraquezas nas mãos de Deus são transformadas como fruto da graça, do amor, da obediência e da fé. Estudaremos a pessoa de Deus e como ele agiu em e através de Abraão, Ismael, Isaque, Jacó e Jose, os chamados patriarcas, patriarcas da nação de Israel que Deus formou para através dele abençoar o mundo, para através dela trazer o Messias, o salvador do mundo.

Hoje, focaremos na vida de Abraão, o patriarca da fé. Olharemos para vida de Abraão, o mais proeminente nome da vida de Israel, excetuando a pessoa de Jesus, e olharemos para um aspecto da pessoa de Deus, o Deus que estabelece promessas com um povo e com pessoas. Atrás do povo, atrás do homem escolhido está Deus. O Deus da aliança
 
 
Introdução à mensagem
 
Abra comigo em Genesis capitulo 12. Na realidade nós iniciaremos a leitura no versículo 31do cap. 11. Antes de ler, quero que imaginem comigo algo que nos introduz à mensagem na vida de Abraão. Você já imaginou como seria sua vida se não houvesse uma lâmpada em sua casa, ou em seu carro? Thomas Edson foi uma benção para o mundo. Você já imaginou como seria sua vida sem um celular? Talvez mais fácil, não seria? Mas imagine a falta que um celular faz quando você quer localizar seu filho ou a sua filha às duas da manhã? A Motorola ou a Nokia se torna uma bênção para você, talvez uma maldição para seu filho que pode ser achado.
 
Mas, que bom que temos lâmpadas e celulares. Por outro lado, o impacto de Thomas Edson e da Motorola termina aqui. Mas, Deus usou a vida de Abraão para um impacto eterno. Deus quer da mesma forma usar sua vida para causar um impacto eterno nas pessoas ao redor das quais vocês vivem. Por isso, convido a olhar para Deus nesta manha com esta expectativa. O Deus de Abraão, que é o Deus do Lisanias, o Deus do Mauro, o Deus do Alex, é o Deus que quer usar sua vida para causar um impacto no mundo. Mas, como Ele faz isto? Bom, vamos ao texto.
 

I – DEUS NOS CHAMA PARA O EXTRAORDINÁRIO – NOSSA RESPOSTA É PELA FÉ - Gênesis 12:1-7
 
O que Deus vai fazer com Abraão é algo extraordinário. Ele vai chamar, vai prometer, vai fazer uma aliança e Abraão responderá por fé a este chamado.
  • Deus soberanamente e graciosamente escolhe Abraão em um contexto de decadência mundial.
Deus havia acabado de promover um recomeço da humanidade. Noé e sua família haviam sido preservados através do dilúvio. Mas, mesmo tendo visto e ouvido sobre a graça de Deus no passado, a humanidade se afastara de Deus. O mundo da época estava corrompido e afastado de Deus. As pessoas se tornaram idólatras. Viam a mão de uma deidade no universo, mas preferiram construir imagens para representar esta deidade do que procurar entender que Deus, um único Deus existia. O mundo está em decadência moral, espiritual e política. Por outro lado, existe certa prosperidade financeira. É semelhante ao que vemos hoje, apesar da crise financeira mundial?
 
Deus em sua graça toma uma decisão. Ele vai formar um povo para através deste povo abençoar o mundo. E para formar este povo, ele chama um homem. Em nenhum momento o texto diz que Deus chamou Abraão para uma missão, chamado este baseado em algum predicado de Abraão. Não!. Deus, soberanamente e sendo gracioso com Abraão, escolhe-o. Simplesmente escolhe-o. Assim é conosco. Deus nos amou e nos escolheu para sermos amados por Ele simplesmente baseado na soberania dele e em sua graça. Não somos merecedores desta escolha, porque somos pecadores. Mas, Deus, tendo resolvido nos amar, nos escolheu.
  • O chamado de Abraão foi algo a principio sem nexo.
De acordo com a citação de Estevam no livro de Atos 7, versículo 14, o chamado de Deus para Abraão se deu ainda em Hur dos Caldeus. Adão não era um homem sem recursos nem tão pouco vivia numa cidade tipo fim do mundo. Não, quando Deus chamou Abraão ele tinha posses. A cidade de Ur que ficava à margem do Rio Eufrates na região que hoje é o Iraque era uma cidade próspera, uma rota de comercio internacional, um centro cultural, cosmopolita e religioso. Segundo alguns pesquisadores, Ur tinha na época de Abraão cerca de 300 mil habitantes. Na leitura que fizemos parece que o chamado de Abraão se dá em Haran. Mas, como citamos a palavra de Estevam, ele foi chamado ainda em Ur. Aqui surge algo delicado.
 
Provavelmente, uma especulação. O chamado de Abraão envolveu seu tio Terá. Mas, como o texto diz, Terá partiu para Canaã, mas resolveu ficar em Harã. Veja que o texto usa uma conjunção contrastante. “Mas”. Em vez de seguirem para Canaã, ficaram em Harã, onde havia muitas possibilidades de negócios. Não era uma cidade tão estratégica como Ur, mas de grande potencial para negócios. Mas, Terá encantou-se com a terra e depois que Ele morreu, Deus continuou o que Ele havia iniciado em Ur – Chamar e preparar Abraão para algo extraordinário.
 
Mas, no chamado de Abraão tem algo muito intrigante que dá lugar para a fé – Observe que Deus não foi claro quando chamou Abraão em termos de lugar – PARA ONDE DEUS ESTAVA CHAMANDO ABRAÃO? Deus não disse. – “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para a terra que eu lhe mostrarei...” Que lugar é este? Ele estava deixando um loal onde ele era um comerciante prospero, uma região prospera, onde sua família teria acesso a coisas que não teria em nenhum outro lugar. Era um homem conhecido, famoso, com muitos empregados.
 
De acordo com os padrões de sucesso da época, Abraão havia alcançado tudo o que um homem poderia almejar. E para onde iria – um local onde de certa forma seria um suicídio vocacional, familiar e financeiro. Um chamado sem nexo. Mas, atrás do chamado estava Deus. Deus. Que Deus? Nesta altura Abraão havia tido apenas este contato com Deus e Deus de cara o chama para algo sem nexo. A GRANDE DIFERENÇA ERA QUE ATRÁS DO CHAMADO ESTAVA O DEUS DA ALIANÇA. O Deus da aliança não falha. Abraão ainda não conhecia Deus assim, mas resolveu correr o risco.
 
  • As promessas de Deus são fora do comum
 
Antes de Abraão responder, observe o que Deus estava prometendo a Abraão. O Deus da aliança ainda não havia se manifestado desta forma técnica como veremos mais tarde. Mas, Deus está fazendo uma aliança com Abraão. Nesta aliança três temas se ressaltam...
  1. Deus faria de Abraão um grande povo – tamanho e poder.
  2. Deus abençoaria Abraão
  3. Deus abençoaria o mundo através dele.
 
Observe como a palavra bênção se repete – 5 vezes. Deus escolhe Abraão para formar um povo e a partir deste povo o mundo ser abençoado. É muito importante notar aqui os planos de Deus para Israel e para o mundo. Deus não cria favoritismo, embora que em sua soberania Deus poderia fazer isto. O ponto é que a despeito de toda corrupção do mundo, Deus poderia ter desistido do mundo, Deus poderia ter se cansado do mundo. Mas não. Deus quer abençoar mundo e agora ele chama um homem para formar uma nação e através desta nação trazer o salvador para o mundo, Jesus Cristo.
 
O apostolo Paulo fala se refere a Abraão em Gálatas 3:8, “Por meio de você todas as nações da terra serão abençoadas” – Este é o primeiro anuncio do evangelho. Desde o Antigo Testamente Deus revelou estas boas novas de salvação pela fé. É com certo autor parafraseou João 3.16 e disse, “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Israel para anunciar a este mundo que quem crer nele virá a ser salvo”. Assim, começando com Abraão Deus resolveu que qualquer um que quisesse conhecê-lo viria para a nação de Israel. Mais tarde, o messias viria ao mundo através de Israel. E Abraão foi o homem que Deus usou para iniciar tudo isto.
 
De Abraão deus criou Israel. Deus abençoou Abraão com bens – veja no vers. 5 como Abrão tinha bens. Este foi o chamado de Abraão – ser abençoado e ser bênção para o mundo. Abraão refletiu para o mundo traços do amor de Deus para com este mundo. As promessas que Deus fez a Abraão foram extraordinárias.
  • A resposta de Abraão – uma fé sem precedentes.
 
Mas, como tudo isto começou, ou seja, o cumprimento das promessas? Veja o contraste com Terá. No cap 11.31, o texto diz que Terá se estabeleceu, fincou raízes, parou em Harã. A terra o atraiu. Agora, observe o contraste no v. 4. Duas palavras fortes, uma expressão que foi o ponto sem retorno na vida da Abraão – PARTIU ABRAÃO. Abraão deixou para trás seus valores antigos, sua cultura antiga, suas práticas antigas, seus alvos antigos, inclusive seus deuses.
 
Em Josué 24.15 Josue menciona que os antepassados deles (Israel) partiram de além do Eufrates, onde estava Ur e deixaram os deuses deles. Mas, naquele dia, com 75 anos de idade, Abraão deu a volta em sua vida. VOU OBEDECER A DEUS E CRER NO QUE ELE TEM PARA MIM. Para muitos um suicídio vocacional, familiar e financeiro. Mas para Abraão foi o começo de uma vida cheia de propósito.
 
Aqui está o impacto da fé – Porque Abraão partiu, deixou Ur, deixou a antiga vida, sem saber para onde ia, mas apenas confiando em um Deus que ele nem ainda conhecia, o mundo muda de história – a partir dali o mundo ganhou uma alternativa de vida que não terminaria em morte. Você está sendo desafiado por Deus assim, PARA SER UMA BÊNÇÃO PARA O MUNDO NO QUAL VOCÊ VIVE? Você imaginou que cada dia que você levanta e põe sua roupa você está partindo para Canaã? Mas, será que você está disposto a deixar tudo que você tem em Harã para ir para Canaã? Tudo começou quando Abraão PARTIU. Era com se ele estivesse dizendo, SENHOR, AQUI ESTOU, ENVIA-ME MESMO.
 
 
TRANSIÇÃO
 
Abraão partiu para Canaã e chegou a região de Siquem. Depois de certo tempo a terra passou uma tremendo período de seca e fome. Ele viajou para o Egito. Nesta viagem vemos a humanidade de Abraão. Com medo de perder sua esposa Sara, que era muito bonita, (12.11) ele mente, e diz que Sara era sua Irmã. Faraó dá uma lição de moral nele,. Faraó confronta o pecado de Abraão. Com isto vemos que Abraão era passível dos mesmos problemas que nós somos.
 
Ao contar isto sobre Abraão, a Bíblia não está aprovando o que ele fez. Apenas sendo verdadeira e mostrando como em sua graça Deus usou um Abraão e também quer nos usar, a despeito do que somos.

A história de Abraão continua com alguns eventos significativos que mostram o caráter dele. Viajando com seu sobrinho Ló, que também enriquecera, eles precisam se separar por problemas de relacionamentos bem como por problemas de muita riqueza de gado. O que eles tinha era tanto que não tinham com andar juntos. Tiveram que se separar e escolher o melhor caminho que fosse para ambos. ABRAÃO como SUPERIOR e mais velho tinha a primazia na escolha, mas deixou Ló escolher primeiro e a melhor parte.
 
Abraão era generoso, gracioso e amoroso. Poderia ter detonado seu sobrinho Ló, mas preferiu honrá-lo. Neste contexto mais uma vez Deus aparece a Abraão e mostra a terra que daria para Abraão e a descendência dele, Israel (Genesis 13.14-18). Querido, não é nosso assunto hoje, mas o território que Israel tem hoje ainda não é o total que Deus tem para eles. Como Deus fez uma aliança irrevogável com Israel, o território ainda será expandido como promessa de Deus.
 
Mais tarde Abraão socorre seu sobrinho Ló. Ló foi raptado. Abraão foi ao encalço, lutou contra 5 reis e os venceu. Tinha um exército de 318 homens e com estes resgatou Ló. Estes reis quiseram fazer uma aliança com Abraão, mas Abraão não queria misturar-se, queria manter seu foco no que Deus tinha para ele. Os Reis queriam repartir os despojos com Abraão, mas o que Abraão tinha vinha de Deus e não precisava do que os outros queria dar para ele. Assim, não fez aliança com aqueles reis. Não queria depender de ninguém, a não ser de Deus. (Genesis 14:1-16,21-24)
 
Mais tarde Abraão encontra com outro rei, Melquisedeque, rei de Salém. Este era sacerdote de Deus, do Deus altíssimo, como diz o texto – Genesis 14:17-20. Ali Abraão dá o dizimo de tudo que tinha. Abraão reconhece que tudo que ele tinha vinha de Deus, por isso adora a Deus com aquela oferta. Ele se reconhece humano e Deus divino. Que diferença. Foi chamado no meio da idolatria e agora se torna um adorador do único Deus verdadeiro.
 
E agora vem um das cenas mais significantes da vida de Abraão. Ele vai conhecer o DEUS DA ALIANÇA
 
 
II – DEUS NOS PROVA E PROVÊ EM NOSSO CHAMADO – NOSSA RESPOSTA É PELA FÉ – Gênesis 15 e 22
 
 
Entramos agora na segunda grande metade da vida de Abraão. Ele vai conhecer o Deus da aliança – este tema permeia todo o Antigo Testamento. Deus é o Deus da aliança, o Deus amoroso e fiel que cumpre todas suas promessas incondicionais. Deus prova Abraão em sua confiança nele, ao mesmo tempo em que provê para Abraão os recursos para atravessar esta prova. Abraão responde por fé esta a prova.
  • Deus estabelece uma aliança unilateral e incondicional com Abraão
 
No inicio do cap. 15 Deus aparece novamente a Abraão, pela terceira vez, e o encoraja. Abraão, por mais vitorioso que estivesse sendo, deveria estar com medo. Por que tantas lutas e guerras? Deus diz para Abraão, “Abraão não tema Eu sou seu Escudeiro.” Que significado. Deus carregaria as armas de Abraão e ao mesmo tempo protegeria Abraão. Mas, Abraão se abre com Deus. Era como o dialogo fosse assim..., “ Senhor eu já ando contigo há certo tempo, e aquela promessa que me abençoarias e farias de mim uma grande nação? Como pode ser assim se não tenho filhos? E daí, o Senhor vai fazer ou não sua promessa ser cumprida?”
 
Como Deus é pessoal, não é mesmo? Deus gosta de ouvir nossas orações e anseios. Deus reforça sua promessa a Abrão, mostra o céu e diz que a descendência dele será com as estrelas do céu. Deus diz, “Assim será a sua descendência” – O texto diz que Abraão creu na promessa de Deus e que isto lhe foi imputado por justiça. Em outras palavras, ele foi aceito por Deus porque ele creu no que Deus disse.
 
O apostolo Paulo usa este texto para mostra que ninguém é justificado por obras, mas por fé, como foi Abraão. Em outras palavras, Abraão foi aceito por Deus por causa da fé que ele teve nas promessas de Deus. Por isso a Bíblia diz que, DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA QUE DEUS SEU ÚNICO FILHO PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRER NÃO PEREÇA, MAS TENHA VIDA ETERNA (João 3.16). A fé de Abraão neste instante não pode ser focada apenas no que ele viu no céu. Ele viu no céu um numero infinito de estrelas. Ao mesmo tempo Abraão já estava em idade avançada. Como ele poderia se multiplicar sendo que ele não tinha mais como gerar um filho. Aqui que entra a fé. Ele creu a despeito de todas as chances serem contra aquela possibilidade. Mas, a despeito da impossibilidade humana, quem prometera havia sido Deus. Se foi Deus, ele podia crer. Assim, ele foi justificado pela fé, como Paulo menciona.
 
No entanto, Abraão ainda insiste, COMO VOCÊ SABER QUE CUMPRIRÁS TUA PROMESSA? Deus então usa um costume da época para celebrar uma aliança. Havia dois tipos de aliança nesta época, conforme registrados em muitas pesquisas arqueológicas que remontam a este período. Havia a aliança bilateral, feita entre duas pessoas iguais. Responsabilidades iguais, e cada parte recebia recompensas iguais. Havia a aliança unilateral, feito do mais forte com o mais fraco, do soberano com o vassalo.
 
Neste caso o vassalo sempre saia perdendo, o rei sempre levava vantagem. O rei sempre tinha segundas intenções e em geral o que era exigido do vassalo este não tinha como cumprir sua parte e como conseqüência da violação do aliança, saia sempre perdendo. O rei terminava escravizando-o. Para celebrar a aliança, em geral se partia um animal em duas partes e as pessoas envolvidas passavam pelo meio do animal partido. E o significado era que se uma das partes não cumprisse sua parte, se fizesse ela o que se fez aquele animal.
 
Deus manda Abraão trazer uma novilha, uma cabra e um carneiro, todos com três anos de vida e também uma rolinha eu um pombinho. Deus pronuncia a aliança e Deus, apenas Deus, passa por entre os animais partidos em dois (15.17). O fogo e a fumaça respectiva eram sinais da presença de Deus.. Deus reafirma sua promessa de dar a Abraão e a sua descendência o que ele havia prometido. O texto diz que Deus fez naquele dia uma aliança com Abraão (15.18).
 
O significado de verbo fazer uma aliança significa literalmente em Hebraico, CORTAR UMA ALIANÇA. Deus cortou uma aliança com Abrão naquele dia. Deus cortou os animais em dois a fim de cortar e estabelecer uma aliança com Abraão. Uma aliança unilateral, incondicional com Abraão. O superior, o Rei, não levaria nenhuma vantagem, não ganharia nada do vassalo, pelo contrário, o vassalo que sairia ganhando.
 
É por isso que Jesus na ultima ceia com seus discípulos, João 15-17, se refere ao cálice da nova aliança. O homem, bem como Israel, não passaram pelo meio dos animais. Eles não cumpriram a sua parte, mas Jesus mesmo cortou a nova aliança. Jesus foi o próprio animal partido para estabelecer com o próprio sangue uma nova aliança incondicional conosco.
 
Por isso é tão importante para cada um de nós que resolveu crer em Jesus participar da celebração deste memorial. Participamos para lembrar que Jesus, ele mesmo, cortou a uma nova aliança com o próprio corpo dele a fim de perdoar os nossos pecados, a fim de perdoar os pecados de todo aquele que crer que o que ele fez perdoa pecados e retira culpa. Todo aquele que crer nisto, é perdoado e justificado como foi Abraão.
 
 
Aliança é o estabelecimento de uma relação outrora não existente baseada em um compromisso de fidelidade em um voto solenemente estabelecido.
 
 
 
Em seguida a este ritual, Abraão recebe a promessa que teria um filho. Ele se precipita e como Eva influenciou Adão e este caiu, assim Sara influencia Abraão e ele tem um filho que ainda não era o filho que Deus havia planejado para ele. Deus promete um filho para Abraão através de Sara. Ela não crer, ri da promessa. Por isso o filho vai chamar-se Isaque, “aquele que ri”. Abraão tinha 99 anos quando Deus lhe prometeu Isaque. 24 anos tinham se passado desde que ele saira de Harã. Aos cem anos de idade Deus traz Isaque para Abraão.
 
O Deus da promessa não falha. Você já imaginou que pode estar esperando a promessa se cumprir em sua vida por 25 anos? Ou 25 horas ou 25 meses? O Deus da aliança não falha, como não falhou com Abraão nem falhará comigo ou você.
 
  • Deus testa Abraão e assegura sua promessa – Genesis 22:1-19
 
Agora Abraão vai passar pelo teste mais significativo em sua vida. Deus conhecia o coração de Abraão. Deus sabia como Abraão responderia àquele teste, mas Abraão não. Por isso Deus nos testa. Estes testes nos ajudam e nos asseguram que quando enfrentamos as dores ou testes da forma correta, que nosso foco está em Deus. C.S. Lewis disse certa vez que UM TESTE OU UMA DOR, FAZ DE ALGUÉM UM CÉTICO OU UMA PESSOA DE FÉ.
 
Veja o teste de Abraão em Genesis 22:1-19. Isaque nascera. A promessa de fazer de Abraão uma grande nação agora estava prestes a se cumprir. Mas, existem algumas coisas que Deus sabe, mas nós não sabemos. Deus quer que nós saibamos e por isso ele nos testa. O autor de Genesis nos diz que Deus pôs Abraão à prova. Deus chama Abraão pelo nome. Não é mais Abrão, mas agora seu nome significa pai de muitas nações. Deus chama e Abraão responde: “Eis-me aqui”.
 
Era como se Abraão dissesse, “Fala Deus que teu servo ouve, o queres de mim agora?” Veja o que Deus responde – Toma seu filho, seu único filho... a quem você ama” Não parece um pouco duro da parte de Deus? Ismael já se fora. Deus em sua graça resolvera abençoar Ismael. Mas, Isaque era o filho da promessa. Esta é a primeira vez que a palavra ou o verbo amar aparece no Antigo Testamento.
 
Abraão, como sempre o fizera, obedece a Deus. Sem titubear. Ele se prepara e resolve andar sozinho três dias até o local do sacrifício. Isto lembra a morte de Jesus. Permaneceu três dias sepultados. Ele enfrenta o desafio de Deus como um desafio de adoração. O filho seria um sacrifício de adoração. Observe o diálogo e o tratamento, “Meu pai... Meu filho” O filho pergunta onde está o cordeiro para o sacrifício, Abraão responde pela fé – Deus proverá meu filho. Deus proverá o que? Talvez Abraão estivesse perguntando para ele mesmo, “proverá o que? Que saída? Uma coisa seu sei, ele faz um pacto comigo...”
 
O que Deus havia pedido de Abraão era algo INEXPLICÁVEL. Mas Abraão prosseguiu. Ele amarrou o filho e colocou-o sobre o altar. Suponho que algumas lembranças vieram à sua mente. Talvez tenha lembrado o primeiro dia que o abraçou, talvez recém saído do ventre de Sara. Ele riu, talvez. Como podia um velho de 100 anos ter um filho naquela idade?. Mas, Deus havia prometido e Deus havia cumprido. E agora, como Deus suscitaria uma descendência se aquele mesmo filho Deus mandara sacrificar? Aquilo era Inexplicável. Também era insano Deus pedir para sacrificar uma vida humana. Aquilo era intolerável. Mas Deus Havia pedido. Abraão resolvera não perguntar, mas obedecer. Aqui está o teste. SERÁ QUE ABRAÃO CONTINUARIA CRENDO EM DEUS QUANDO TUDO PARECIA INEXPLICÁVEL E CONFUSO?
 
Abraão continua e levanta a faca para matar seu filho e neste instante ele novamente ouve a voz do anjo de Deus, “Abraão, Abraão...” Veja a resposta de Abraão, “Eis-me aqui” Não era simplesmente uma resposta tipo, “Sim..”. Era se como mais uma vez Abraão estivesse dizendo, “Sim, Senhor. O que queres? Qual a próxima ordem, qual o próximo desafio?” Deus diz, “agora sei que me temes, pois não me negaste o teu filho, o teu único filho”. Depois disto Deus reafirma sua promessa que Abraão teria uma descendência tão numerosa como as estrelas do céu e areia do mar. Isto continua se cumprindo através de Cristo, através de todos os que se convertem ao Senhor Jesus.
 
Abraão respondeu com fé ao desafio de Deus. Deus usou Abraão para causar um impacto ainda hoje no mundo. Naquele dia Abraão poderia ter escolhido o sem bem estar, poderia ter resolvido discutir com Deus. Abraão teria perdido a benção.
 
Você tem um Isaque que impede você de ser mais usado por Deus.? Você está vivendo um momento de vida que parece Abraão no monte Moriá? Um momento de deserto onde tudo parece inexplicável? Você pode escolher como Abraão escolheu ou tornar-se um cético. Abraão continuou tendo fé e viu o resultado.
 
A vida de Abraão termina de uma forma significativa. Ele viveu com Isaque ainda 75 anos. Em sua morte Isaque e Ismael estavam juntos. Isto é um toque de como será o futuro, quando Jesus voltar. Os filhos de Isaque estarão juntos como fruto do amor incondicional de Deus. Os filhos de Ismael são os Árabes. Eles se dizem filhos de Abraão através de Ismael. Muitos dentre eles já conheceram e muitos virão a conhecer Jesus. Deus é o Deus da aliança, o Deus de promessas que cumpre suas promessas. É por isso que nossa igreja envia missionários para o mundo. Pensamos em São Paulo, Vila Andrade e Morumbi. Pensamos em Brasil, mas pensamos na Europa, Ásia e África.
 
 
APLICAÇÃO FINAL
 
Quero terminar fazendo três desafios para você. Um deles vai ser o seu caso.
 
  1. VOCÊ JÁ RESOLVEU CRER QUE DEUS QUE LHE USAR NO MUNDO PARA VOCÊ SER UMA BÊNÇÃO? Fomos chamados para sermos conforme a imagem de Cristo e assim seremos bênçãos para todos ao nosso redor. Amanha você vai levantar para ir trabalhar. Levante pensando e crendo que Deus quer lhe usar no mundo. Mas, você precisa resolver crer e deixar pára trás aquilo que você sabe que lhe atrapalha. Deixe Ur para trás.

  2. VOCÊ ESTÁ VIVENDO UM MOMENTO DELICADO, COMO SE VOCÊ ESTIVESSE NO MONTE MORIÁ PASSANDO POR UMA SITUAÇÃO INEXPLICÁVEL? Quem sabe hoje é o dia de você se render e dizer a Deus que você está escolhendo crer nele em vez de desistir. Pode ser um trabalho que você está prestes a perder, um casamento que não se resolve, uma doença prolongada. Quem sabe Deus está querendo ouvir de você, “Eis me aqui Deus, que mais?” Lembra da frase de C. S. Lewis, a dor pode gerar um cético ou gerar um crescimento de fé. Abraão resolver confiar em Deus quando a situação era inexplicável. E você, gostaria de fazer o mesmo? Suponho que para alguns de nós o melhor seja dizer para Deus, “Eu creio Deus, mas ajuda-me em minha falta de fé”

  3. VOCÊ JÁ RESOLVEU CRER EM JESUS COMO SEU SALVADOR? Abraão teve seu filho poupado. Deus interveio por amor a Abraão. Mas, Deus por amor a você e a mim, não poupou Jesus Cristo. Nos, raça humana, violamos a aliança com Deus e Jesus cortou uma nova aliança conosco. Ele cortou seu próprio corpo, ou melhor, deixou voluntariamente seu corpo ser crucificado para que se você crer, seu pecados sejam perdoados. Você crer nisto? Hoje é o dia de você dizer, Jesus eu creio no que o Senhor fez na cruz por mim, eu o recebo como meu salvador.
 
Pr. Lisânias Moura


IBMorumbi