Generosidade, dízimos, ofertas e fé


Lucas 6.38, Atos 20.35, 2 Coríntios 8 Série: Viver com Deus a generosidade


PARA INÍCIO DE CONVERSA...

1. NÃO É TUDO A MESMA COISA

• Dízimos: na teocracia de Israel, os dízimos eram equivalentes a impostos compulsórios instituídos por Deus para financiar três programas nacionais:

1) o sustento dos levitas, tribo separada para o sacerdócio e serviço do Templo e não aquinhoada com uma porção da terra após a conquista de Canaã (os levitas eram representantes temporais do governo divino) – taxa de incidência anual, dez por cento de toda renda e da produção agropecuária;

2) o financiamento das inúmeras festas nacionais e festivais religiosos – taxa de incidência anual, dez por cento de toda renda e da produção agropecuária (além do dízimo para sustento dos levitas);

3) o sistema de seguridade social, uma espécie de redistribuição da renda para sustento dos pobres – dez por cento de toda a renda a cada três anos.
Esses três dízimos somados a outras provisões obrigavam o israelita a contribuir cerca de 25% da sua renda/produção para custear a nação teocrática de Israel.

• Ofertas: doações inteiramente voluntárias em resposta a necessidades, circunstâncias ou projetos específicos. Exemplos: AT- dádivas para a construção do Templo em Jerusalém (1 Crônicas 29.1-9); NT- oferta para os irmãos em dificuldade da Judéia (Atos 11.27-30)

2. COMO A IGREJA FAZIA NO COMEÇO

Templo em Jerusalém (1 Crônicas 29.1-9); NT- oferta para os irmãos em dificuldade da Judéia (Atos 11.27-30)

3. COMO A IGREJA FAZIA NO COMEÇO

• Sustentava os obreiros da igreja: 1Co 9.6-14; Gl 6.6; 1Tm 5.17

• Sustentava os necessitados: 1Tm 6.16; At 4:32-34; 6; 11.27-29; Gl 2.10;
1Jo 3.15; 1Co 16.1-4

 

4. DIRETO DOS LÁBIOS DE JESUS

PROMESSA E ORDEM - Lucas 6.38
“Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês”. (NVI)

GARANTIA DE MAIOR BÊNÇÃO - Atos 20.35
“Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus:  “Mais bem-aventurado é dar que receber.” (ARA)

 
O PRIVILEGIO DE DAR (2 Coríntios 8.7)

1. Dar baseia-se na Graça, não em filantropia (1)
2. Dar supera com alegria as circunstâncias mais adversas (2)
3. Dar ultrapassa pela fé a barreira da capacidade humana (3-4)
4. Dar é a extensão de dar-se (5)
5. Dar é um ato consistente (6-12)

  • Quando continuo o que planejei e iniciei
  • Por que transformo atitude em ação concreta
  • Por que reflito o amor de Jesus Cristo
  • Quando sou coerente com meu potencial de contribuir

6. Dar diminui a desigualdade (13-15)
7. Dar honra a Deus e deve ser honrado pelos homens (16-24)

 

“CHECK LIST”

1. Qual tem sido a minha motivação principal ou atitude básica a respeito de dar e contribuir?
2. Estou convicto de que meus hábitos de contribuição (ofertas, dízimos, etc.) estão em harmonia com o ensino bíblico?
3. Minha família conversa e age de maneira saudável e alegre em relação ao tema da contribuição?

ORAÇÃO

Senhor, tem misericórdia de mim pecador. Abre os meus olhos para contemplar a grandeza da Graça que me alcançou. Jamais poderei retribuir-Te; tão somente peço-Te que me conduzas pelo caminho de Tua generosidade para aprender a me entregar primeiro e sem restrições a Ti e a entesourar no Céu repartindo o que me dás na terra. Amém.
 
Pr. Paulo Moreira Filho


IBMorumbi